Ganda boémio!

Cruzeiro-Seixas.jpg



A
ventureiro,boémio, muito amimado,
nada lhe faltava, tinha todo o preciso,
em "dotes da Natureza", bem abonado,
mas, parece, tinha uma falha de siso.

Com muitos amores, sempre, atarefado,
de dentes alvos, de sua boca o sorriso
distribuía e andando por todo o lado
para as jovens, era azougado de juízo

Descuidado, nas relações, imprudente,
com as moças mostrando-se insolente,
até, namorada lhe impor baías e limites.

Jovem liberal, culta, bela esculturalmente,
ao seu ouvido, advertiu, a gravar na mente,
 toma lá juizinho, comigo"não te estiques!”

Edgard Panão

( Poesia Arcaica )

Art by - Cruzeiro Seixas