Hylario e hylariante

 

O chamado FADO HYLARIO, designação popular e encurtada de FADO HYLARIO MODERNO, alimentou incontáveis abordagens ao longo do século XX.
Aqui ficam dois exemplos.
No primeiro caso, um pequeno filme promocional de Henrique Campos, realizado em 1949 com o ator-cantor Alberto Ribeiro, instrumentário de Fado, uma letra de Gabriel Marujo, e figurantes que talvez fossem estudantes da UC e mulheres do Rancho de Coimbra: http://www.cinemateca.pt/Cinemateca-Digital/Ficha.aspx?obraid=8157&type=Video, arquivo da Cinemateca Portuguesa, ID CP-MC: 7001926.

No segundo caso temos uma paródia do fadista nortenho Neca Rafael com obra gravada nas décadas de 1950-1960. A letra é do próprio Neca Rafael, acompanhado por Samuel Paixão (gL), António Paixão (v) e O. Cunha (contrabaixo) no EP Rapsódia 9.083 F, s/d (ca. 1960?]. Cantado com pronúncia nortenha, notória na bitongação (ou = ou-u) e com acanalhamento dos ais. A instrumentação é no estilo de Lisboa. Neca Rafael era o nome artístico de Manuel Garcia da Silva, nascido em Paranhos, Porto, 1906, e falecido em 1979. Residiu durante décadas na Afurada, VNG. Foi um artista popular, ator, fadista e autor de rábulas humorísticas no estilo dos antigos faias e cantores repentistas. A sua performance vocal e os temas e letras que abordou sobreviveram quase milagrosamente numa época em que a vigilância censória sobre os fadistas extirpou todos os velhos temas fadísticos relacionados com o anticlericalismo, o satanismo, o republicanismo, a prostituição e o erotismo. Por volta de 1970-1972 ainda estavam à venda vários EPs com a sua voz, que se podiam ouvir em aldeias recônditas em giradiscos movidos a pilhas. Andaria eu pelos cincoanitos e bem me lembro do cómico JÁ ESTÁS C'OS COPOS, que se cantava em coro a parodiar a voz da esposa de um beberrão façanhudo.

FADO HILÁRIO/PARÓDIA
Música: Augusto Hylario
Letra: Neca Rafael
Arranjo: Samuel Paixão

Eu vou cantar o Hilário
Fadinho d'entusiasmare
Não é fado, é um fadário
(Ai) Pra quem tem que me gramare

O que é preciso é ter lata
(Ai) Cumo a minha pra este fado
E uma garganta de prata
Ou encontro-me placado (???)

A cantar dou tantos ais
E até alguém afirmou-u:
Hilário daria mais
(Ai) Se ouvisse os ais que eu dou-u

Se Hilário ouvisse o fado
À maneira cumo eu canto
Ia parar a Monsanto [cadeia civil em Lisboa]
(Ai) Por matar um desalmado

E se eu em Coimbra estivesse
(Ai) Não teria mais sossego
Havia quem me pusesse
(Ai) A demolhar no Mondego

No Choupal cantei o fado
E no fim foi o diabo
O rouxinol despeitado
(Ai) Arrancou as penas ao rabo

Relacionado com a temática estudantil, Neca Rafael gravou nos anos 60 na Ofir o EP Neca Rafael nos maiores sucessos humorísticos, reeditado na etiqueta Président PRC 452.
Publicado por:

 - Guitarra de Coimbra V (Cithara Conimbrigensis)