Académica em posição de subida…

 

Se em vez de terminar hoje a primeira volta acabasse o campeonato, a Académica, em princípio subiria de divisão E dizemos em princípio porque, a dar-se o caso de três equipas ficarem com o mesmo número de pontos, haveria que fazer as contas especificadas nos regulamentos. Todavia, falta a segunda volta, e a Académica não pode cometer os erros que ensombraram algumas das suas exibições até à data, como hoje, por exemplo, em que as coisas, no resultado, acabaram em bem, mas um bem sofrido, atabalhoado, que começou da melhor forma, com jogadas de eleição em catadupa, ainda que só uma vez concluídas em golo.

Para o espectador atento, nota-se que há algo que falha na equipa, e não é só o meio-campo, a maior parte das vezes desastrado: é, também, o aproveitamento de jogadores tecicamente capazes de virar um resultado. Mas isso são contas de outro rosário, que não nos cabe aqui identificar. Ficam connosco, contudo, para melhor interpretação.

 O que que conta é que a Académica venceu hoje o Varzim por 1-0, em jogo disputado em Coimbra, respeitante à 9.ª jornada, última da primeira volta, da II Liga de futebol, subindo à segunda posição da tabela..

O único golo da partida foi apontado por Harramiz, aos 13 minutos após uma excelente jogada pelo lado direito.

Com este resultado, a Académica igualou o Académico de Viseu na segunda posição, com 33 pontos, menos quatro do que o líder FC Porto B. A equipa da Briosa e os viseenses podem ainda ser igualados pelo Penafiel, que amanhã, domingo, recebe o Sporting da Covilhã.

O jogo começou morno, com as equipas a estudarem-se mutuamente, mas com o desenrolar dos minutos os ‘estudantes’ foram tomando conta da partida, que teve poucas oportunidades de golo.

Logo aos oito minutos, a Académica sofreu uma contrariedade com a lesão do defesa central Zé Castro, que foi substituído pelo jovem Tiago Duque, em estreia esta época.

Aos 43 minutos, o Varzim ficou reduzido a 10 unidades depois da expulsão de Diogo Ramos por acumulação de cartões amarelos a castigar “ataques sarrafeiros” sobre os adversários.

Na segunda parte, trapalhona, aos solavancos, a Académica dominou o jogo e criou algumas oportunidades sempre que Chiquinho conseguiu que a bola lhe fosse passada,, mas faltou precisão no último passe para conseguir um resultado mais dilatado, enquanto o Varzim procurou, sempre que pôde, lançar perigosos contra-ataques, um dos quais, aos 79 minutos, num centro para a área em que Stanley quase marcava de cabeça, depois de alguma atrapalhação do guarda-redes Ricardo Ribeiro.

Uma

 Jogo no Estádio EFAPEL| Assistência: 3.012 espetadores.

Académica – Varzim, 1-0.

Ao intervalo: 1-0.

Marcador: 1-0, Harramiz, 13 minutos.

Equipas:

– Académica: Ricardo Ribeiro, Mike, João Real, Zé Castro (Tiago Duque, 10), Nélson Pedroso, Dias, Chiquinho, Zé Tiago (Ki, 69), Luisinho, Harramiz (Marinho, 71) e Djoussé.

Suplentes: Guilherme, Marinho, Ki, Tiago Duque, Brendon, Diogo Ribeiro e Tozé Marreco.

.

– Varzim: Paulo Vítor, Jean Felipe, Nélson Agra, Jeferson, Milhazes, Diogo Ramos, Nélsinho, Leonel Olímpio (Seck, 83), Macedo (Ruan Teles, 62), Stanley e Malele (Tiago Valente, 46).

(Suplentes: Pedro Cunha, Tiago Valente, Sandro, Seck, Mário Sérgio, Fábop e Ruan Teles).

Árbitro: Jorge Sousa (Porto), que, para além de alguns erros graves em prejuízo da Académica, permitiu jogadas muito duras por parte dos jogadores do Varzim.