Conferencia imprensa João Alves

alves-a-bola.jpg

Foi lamentável o que se passou na conferência de imprensa no final do jogo da Académica com o Cova da Piedade em Coimbra.

Uma pergunta sobre um treinador de um clube que não jogou ali, não é da mesma competição e cuja dispensa não envolve nenhum dos presentes? João Alves poderia ter-se escusado a responder ali, naquela situação, respondia depois a título pessoal, ali estava como treinador da Académica. Já basta o tempo que esses outros clubes têm na comunicação social, ainda ver a pouca atenção que resta retirada para se falar de mais um caso de um clube que nada era para ali chamado é algo que lamento.

A pergunta veio no final, foi a última mas não seria se o responsável da comunicação da Académica não tivesse, e bem, impedido nova pergunta. A pergunta era sobre a saída de Rui Vitória do Benfica e a opinião de João Alves. Mas o jogo era em Coimbra, estava a falar o treinador da AAC e a pergunta é sobre um clube de longe e que nada tem a ver com aquele jogo, com os jogos futuros, com a competição, nada, nada. O responsável pela comunicação da Briosa foi surpreendido pela pergunta e talvez por o treinador ter respondido. Já não deixou que o mesmo jornalista fizesse nova pergunta sobre o mesmo tema. E fez bem. O jornalista do jornal A Bola estava a fazer o seu trabalho que não era perguntar sobre o jogo, sobre a Académica ou sobre a Liga Ledman Pro, era perguntar coisas sobre o Benfica e conseguiu colocar no seu jornal essa reação de João Alves treinador da AAC sobre a dispensa do treinador do Benfica. Mais uma vez a imprensa nacional esteve ao serviço dos do costume e nem o pouco e parco espaço que ainda é dado aos outros clubes foi respeitado. No site do jornal A Bola, https://www.abola.pt/Clubes/478/36 , este assunto está na secção da Académica como mostra a foto. Mas o que é que interessa à Académica, à análise do jogo ou aos associados da AAC que se fale desse assunto na conferência de imprensa depois de um jogo da sua equipa no seu estádio?

Fica o meu lamento. Mais respeito pela Académica, por Coimbra e pelos adeptos.

Rui Rodrigues

Coimbra