Grão a grão…

AAC-OAF-Viseu.jpg

“A cidade está preparada para subir, Viseu está cheia de fome de bola e só falta um clique para despertar o dinossauro adormecido", assim dizia António Albino, o presidente do Académico de Viseu, reflectindo o sentimento que existia e existe na capital da Beira Alta. Todavia, Académica venceu em Viseu e mantém-se na luta pela subida à I Liga de futebol, caindo os viseenses para o fundo da tabela.

O futebol não é fácil: precisa-se de luta, de garra, e também de um pouquinho de sorte.

No estádio do Fontelo, numa tarde solarenga e com as duas equipas fortemente apoiadas, o jogo começou com um minuto de silêncio em memória de Vítor Campos, antiga glória da 'Briosa' e do futebol português, falecido que foi na pretérita quinta-feira.

A primeira parte teve grande equilíbrio, com um jogo muito físico e faltoso, e nem sempre bem jogado, onde escassearam as oportunidades de perigo.

Foi de canto que a Académica chegou ao golo, aos 17 minutos, com João Real a aparecer ao segundo poste e a cabecear colocado, fora do alcance de Ricardo Janota.

Até final da primeira parte, foi também de canto, aos 30 minutos, que o Académico de Viseu ficou perto do empate, com João Victor a antecipar-se a toda a gente e a cabecear junto ao poste direito da baliza de Ricardo Moura.

Na segunda parte, e com as duas equipas a precisarem de pontos para manterem vivos os seus objetivos, de manutenção no caso dos viseenses; e de subida, para a Académica, o jogo acelerou, dinamizando-se.

Aos 48 minutos, numa recarga vitoriosa de Reko a uma defesa de Ricardo Janota, a Académica dilatou a vantagem.

Rui Borges mexeu na equipa com as entradas e Nsor e Barry e os viseenses ficaram mais perigosos, criando muitos lances de apuro junto da baliza de Ricardo Moura.

Aos 68 minutos, de livre direto, Fernando Ferreira reduziu para o Académico de Viseu e o jogo ficou ainda mais intenso.

A Académica passou a apostar no contra-ataque e o Académico de Viseu foi à procura do empate, que esteve perto aos 86 minutos, quando Nsor enviou a bola ao poste. Todavia, a equipa da Briosa manteve o resultado vitorioso, uma homenagem sentida dos atletas ao grande ídolo que foi Vítor Campos, atleta de antes quebrar que torcer, e que tantas alegrias deu, no seu tempo, aos adeptos da Académica.

Com este resultado, a Académica ganhou mais alento rumo à subida. A ver vamos como vão correr os próximos jogos.

 

Jogo no Estádio Municipal do Fontelo, em Viseu.

Académico de Viseu - Académica de Coimbra, 1-2  (ao intervalo: 0-1)

Marcadores: 0-1, João Real, 17 minutos; 0-2, Reko, 48; 1-2, Fernando Ferreira, 68.

 

Equipas:

- Académico de Viseu - Ricardo Janota, Tomé (Tiago Almeida, 72), Pica, Kevin Medina, Nélson Lenho, Diogo Santos, Fernando Ferreira Paná (Barry, 53), Luisinho, João Mário e João Victor (Nsor, 53).

.

- Académica - Ricardo Moura, Traquina (Brendon, 84), Yuri Matias, João Real, Joel, Jean Filipe, Ricardo Dias, Reko, Jonathan (Fernando Alexandre, 80), Junior Sena e Romário Baldé (Mike, 90+2).

 

Árbitro: António Nobre (AF Leiria)- Arbitragem aceitável.

 

A-CA-DÉ-MI-CA

ACA-DÉ-MICA

ACADÉMICA

BRIIIOOOSAAAAAAAAAA!...

ACADÉMICA, SEMPRE E SÓ!