“Sei que está em festa, pá Fico contente…”

 

Assim cantava Chico Buarque na altura a homenagear o 25 de Abril.

Hoje lembrei-me desta canção enquanto guiava na A8 de volta a Coimbra. 

No carro um silêncio sentido. Não tínhamos na verdade muitos motivos para sorrir, não nos apetecia falar. A Académica tinha perdido nas Caldas e com isso perdeu a oportunidade de seguir em frente na Taça de Portugal, de receber o Farense e quiçá lutar com Aves ou Rio Ave a hipótese de ir ao Jamor.   E eu queria voltar ao Jamor. Mas como escrevi acima a música do Chico Buarque não me saía da cabeça. E comecei a ficar de melhor humor. Perdemos sim mas como canta a Mancha “ se perderes, quero lá saber, desde que te possa ver , até morrer”. E perdemos mas eu vi-te e foi muito bonita a festa pá. Primeiro pela expectativa na semana, a mobilização de adeptos, bilhetes esgotados, famílias a planear rumar às Caldas só para ver o jogo. Depois a ida e o almoço com amigos já nas Caldas. A seguir a ida para o Estádio a forma ordeira , civilizada, educada com que as duas massas adeptas se respeitaram. Depois o chegar às bancadas e o contínuo arrepio com o seu preenchimento. A moldura humana que estava ali à antiga, em pé, sem cobertura, a cheirar a relva, a sentir o jogo. O cantar pela Académica, o dividir com os adeptos do adversário um Briosa de cá com um Caldas de lá. Foi mesmo bonita a festa pá. Arrepio de contentamento. No campo duas equipas a fazer pela vida e uma com menos um elemento durante 76 minutos foi heroica, a outra foi infeliz não aproveitando essa vantagem e falhando na lotaria dos penaltis. Mas a festa foi bonita pá. E a festa valeu a pena e agora que a mente vai estando menos sofrida a Alma está cheia. Foi um grande dia, foi ótimo ter vivido este dia 30 -12 – 2017 nas Caldas da Rainha, foi bom ter os meus filhos comigo na bancada, foi bom ter amigos ao lado, foi bom ter conhecidos e desconhecidos irmanados neste apoio à Briosa foi bom ver igual amor do lado do adversário.

Foi bonita a festa pá e por isso fico contente e trouxe naturalmente um metafórico cheirinho de alecrim. Partilhemos essa bela fragância, enchamos os pulmões com o belo ar que respirámos hoje nas Caldas! O que levamos desta vida é a vida que levamos e este dia levo-o comigo de certeza.

Rui Rodrigues

 

 

Tanto Mar, Chico Buarque:

Sei que está em festa, pá/ Fico contente/E enquanto estou ausente/Guarda um cravo para mim

Eu queria estar na festa, pá/Com a tua gente/E colher pessoalmente/Uma flor no teu jardim

Sei que há léguas a nos separar/Tanto mar, tanto mar/Sei, também, que é preciso, pá

Navegar, navegar

Lá faz primavera, pá/Cá estou doente/Manda urgentemente/Algum cheirinho de alecrim