Sem palavras

Sem palavras

Escasseiam as palavras, que a dor é muita: apesar das promessas, a época pode considerar-se um fracasso rotundo.

Não é, neste amargo final de época, nos momentos que as coisas ainda estão “quentes”, que se podem avaliar e debater erros e possibilidades, porquês.

Há um interregno suficientemente grande para, realisticamente, se encontrarem soluções. Torna-se necessário, todavia, agarrar o problema, estudá-lo nas suas cambiantes, e agir com firmeza.

Como? Proponha quem tem obrigação de o fazer: duas épocas já se perderam.

 

Na última jornada da II Liga portuguesa de futebol, o Varzim venceu a Académica de Coimbra, por 1-0, uma partida que foi decidida com o golo Rúben Macedo, ainda na primeira parte.

O avançado dos poveiros marcou o tento, que deu a vitória à equipa da casa, aos 18 minutos, fixando um resultado que serviu os intentos dos poveiros, que assim garantiram a manutenção no segundo escalão do futebol nacional ao terminar o campeonato no 10.º lugar, e com 50 pontos.

Já a Académica, com este inesperado desaire, baixou uma posição na tabela classificativa, terminado a prova no quarto lugar, com 63 pontos, sendo superado nesta derradeira ronda pelo Académico de Viseu, que somou 64.

O Varzim sabia que precisava de pontuar para depender apenas de si na luta pela manutenção, entrando no desafio determinado a lograr esse objetivo, com uma postura mais ambiciosa e desperdiçando, logo no primeiro minuto, uma excelente oportunidade para marcar, por Stanley.

Do outro lado, a 'briosa' tinha em Tozé Marreco, aparentemente, o seu elemento mais desequilibrador, autor de alguns desvios perigosos para a baliza de guardião varzinista Paulo Vítor, mas sem a melhor definição.

Acabou por ser Rúben Macedo, aos 18 minutos, a fazer a diferença, inaugurando o marcador para os locais, depois de Stanley ter ganhado uma decisiva bola na área dos 'estudantes'.

O tento motivou a formação poveira, que até ao final, esteve sempre mais perto de ampliar a vantagem, perante um adversário que sentiu dificuldades em libertar-se da pressão e armar os seus contra-ataques.

Após o intervalo, a toada do desafio mudou, com a equipa da Lusa Atenas a mostrar-se bem mais perigosa, dominando o meio-campo e criando as melhores oportunidades.

Guima, em dois lances consecutivos, já depois da hora de jogo, esteve perto de conseguir um empate, com um remate de longe e um outro de bicicleta, que não tiveram a melhor pontaria.

O Varzim recuou para segurar o magro pecúlio, e apenas num contra-ataque, desenhado por Ruben Macedo e desperdiçado, na finalização, por Stanley, conseguiu levar algum perigo, perante uma Académica, que apesar da insistência, não teve acerto para inverter o 1-0 final.

Jogo no Estádio do Varzim SC, na Póvoa de Varzim.

Varzim - Académica Coimbra, 1-0 (Ao intervalo: 1-0)

Marcador: 1-0, Rúben Macedo, 18 minutos.

Equipas:

Varzim: Paulo Vítor, Mário Sérgio, Nélson Agra (Jeferson, 11), Tiago Valente, Rui Coentrão, Estrela, Jean, Nelsinho, Ruan Teles, Rúben Macedo (Diogo Ramos, 84) e Stanley (Baba Seck, 88).

 

Académica: Ricardo Ribeiro, Mike, João Real, Brendon, Nélson Pedroso, Fernando Alexandre, Marinho (Piqueti, 61), Chiquinho, Traquina (Zé Tiago, 64), Tozé Marreco e Djoussé.

 

Concluindo: Foi um grande banho para as aspirações da Académica, que, ao longo da época, por motivos que urge analisar sem sofismas, teve todas as hipóteses para ganhar, destacada, o campeonato da II Liga, e nem sequer conseguiu ficar num dos lugares do pódio.

Na I Liga ou mesmo na II – ou até em qualquer outro escalão – O Ponney continuará sempre a estar ao lado da académica.

IMAGEM - AAC/OAF

 Varzim-vs-Academica-Foto-AAC-OAF.jpg

A-CA-DÉ-MI-CA

ACA-DÉ-MICA

ACADÉMICA

BRIIIOSAAAAAAAAAAAAAAAAA