Cartolas

 

No nosso país, os nossos políticos cada vez mais de distanciam do povo por causa das trapalhadas que se envolvem. A lei de financiamento dos partidos é uma vergonha, na qual se incluem a maioria dos partidos, incluindo aqueles que alegam constantemente a defesa dos trabalhadores. O município de Lisboa gasta dezenas de milhares de euros para comprar cartolas para o fim de ano. Andamos a pagar impostos para se gastar assim o dinheiro? Sucede que as cartolas foram adquiridas, “por coincidência” , a uma empresa de um conhecido socialista de Estremoz, um tal Calhordas. Salvam-se os amigos e trama-se o povo. Frasquilho recebeu verbas, não declaradas, do BES e transferiu para contas de familiares no estrangeiro. Estes são alguns exemplos de como actuam os nossos políticos. Todos se mantêm em funções e não há consequências. Já começa a ser difícil confiar na nossa classe política.

João Castilho