EMIGRANTES PORTUGUESES LESADOS DO BES E DO BANIF

Foto-Fernando-Veludo.jpg

Triplamente traídos, primeiro quando o país lhes negou a possibilidade de prosseguirem uma vida digna, obrigando as comunidades portuguesas a emigrar para todos os cantos do mundo.

Depois, quando o país ávido de receitas, legislou e promoveu a captação das poupanças dos emigrantes, que foram apaixonados ou emotivos na grandeza da resposta, confiando, quando só tinham motivo para desconfiar.

E, ainda, quando o estado de direito funciona torto, beneficiando aqueles que devia supervisionar sendo laxista (para ser meigo) e penalizando, outra vez, aqueles a quem um dia já havia dado a maior nega da vida.

É reconhecido que houve maus serviços prestados por diversas  Entidades Públicas, incluindo um PR que se pronunciou sobre o que não devia.

Para quando o Ministro das Finanças - que entre tantas cativações permite tantos recursos desbaratados – está a guardar o momento de sanar esta injustiça, sendo certo que a maioria dos emigrantes não vota, até porque até nisso a governação é negligente?

Luís Zarolho

 

https://www.msn.com/pt-pt/noticias/portugal/eu-tenho-de-pagar-350€-para-ser-reconhecida-mas-o-ricardo-salgado-já-foi/vi-AACAh29?ocid=spartandhp

Foto: - Fernando Veludo