MAL ENTENDIDOS

Rui-Felicio221.png

Todas as semanas à sexta-feira, vou àquela tabacaria meter o Euromilhões. O sorriso simpático da Sandra, ali empregada, saúda-me quando entro.

 É uma bela jovem, cujo corpo, de há uns meses para cá tem sofrido uma visível transformação. Os seios aumentaram de volume, as ancas alargaram e a barriga, de dia para dia mais proeminente, começa a dificultar-lhe os movimentos.

A gravidez já vai nos seis meses e a Sandra torna-se na mais bonita mãe da Ericeira, que encanta e seduz a clientela masculina da tabacaria.

Na semana passada, reparei que trazia o dedo indicador da mão direita, envolto numa grossa ligadura atada com adesivo. Perguntei-lhe:

- Como é que você fez isso?

Ela fitou-me demoradamente, mediu as palavras e, de olhar cúmplice, respondeu-me sem perder o seu cativante sorriso:

- Ora essa! Com a sua idade e ainda não sabe como se faz?...

Eu falava do dedo. Ela da gravidez...

Rui Felicio