VITÓRIA IMPORTANTE PARA ENCARAR O FUTURO COM MAIS CONFIANÇA

AAC-OAF-2.jpg

Hoje parti para Alcochete bem ciente das dificuldades que a Briosa iria enfrentar, no confronto com uma excelente equipa, recheada de jogadores jovens de muita qualidade e grande futuro, a jogar em casa e moralizada por uma boa posição na tabela classificativa.

Mas parti também com a esperança de que seria possível alcançar um bom resultado, atendendo à constatação de que a Académica se sente mais confortável e tem conseguido as melhores prestações precisamente frente àquelas equipas mais qualificadas e que, à partida, se apresentariam com claro favoritismo.

O início do jogo confirmou os meus receios, com uma entrada afirmativa do Sporting, a tomar conta do jogo, a empurrar a Académica para trás, com dificuldade em respirar, a acantonar-se na sua retaguarda, a acumular erros comprometedores.

Assim, foi sem surpresa que sofremos o primeiro golo, o que, paradoxalmente, levou a uma alteração no desenrolar da partida, com a Académica a libertar-se, a entrar finalmente no jogo, a começar a olhar para a baliza contrária, a delinear bem conseguidas jogadas de ataque, a criar algumas oportunidades de golo.

Foi, pois, também sem surpresa que se chegou ao empate, num lance que saiu de uma assistência de génio de um Hugo Seco hoje verdadeiramente inspirado e da veia concretizadora do Perea, uma aquisição recente e prometedora, neste mercado de Inverno.

A partir daqui pode dizer-se que a Briosa passou a ser a melhor equipa sobre o relvado, superioridade que se foi consolidando ao longo da segunda parte. A linha defensiva serenou, o meio-campo melhorou, a linha atacante continuou a levar perigo verdadeiro à baliza adversária.

E, por volta dos 80 minutos, lá surgiu o desejado golo do nosso contentamento, marcado pelo herói do dia, o Hugo Seco, atualmente a um nível bem superior ao demonstrado na época passada. Até final, jogo sempre controlado, sem que se tenha passado por grandes sustos ou aflições  e mais 3 preciosos pontos que, para já, nos retiram da incomodidade do último lugar.

A equipa vem melhorando, o pecúlio pontual vai paulatinamente crescendo e vai-se instalando aquele clima de maior confiança e esperança, que nos libertará da perspetiva assustadora de que será possível descer ainda mais fundo.

VAMOS ACREDITAR QUE O FUTURO SERÁ BEM MAIS RISONHO!

Jorge Pedroso de Almeida