Vulcão em actividade

Vulcao.png 

«A lava do vulcão continua a avançar na direção do mar, arrasando a ilha de Palma, nas Canárias, expulsando os seus residentes de muitos anos. Destruídas centenas de casas, inúmeras estradas, campos agrícolas…»

Faz todo o sentido a ideia de que o nosso planeta é um organismo único, a pulsar de vida e energia (oceanos, vulcões, convulsões climáticas, placas tectónicas em permanente movimento, abalos telúricos, chuvas torrenciais, descargas elétricas atmosféricas, ventos ciclónicos, etc.) do qual faz parte uma diversidade infinda de reinos e espécies que concorrem entre si, desde o vírus ao ser humano.

Um planeta que escapa em grande parte ao controlo dos inquilinos, e onde as crenças religiosas ou políticas, bem como o sofisticado material de guerra dos humanos, se revelam completamente impotentes para enfrentar a força da Natureza.

Entretanto, perante este estado de convulsão na nossa casa planetária, os senhores do mundo em vez de se porem urgentemente de acordo sobre como minimizar as consequências das catástrofes naturais que se estão a adensar, preocupam-se, sim, em reforçar o arsenal de guerra, afinam o alcance dos mísseis balísticos e jogam à batalha naval com submarinos nucleares. Alguém, estranho ao planeta, que nos estivesse a observar das estrelas, diria que o nosso pequeno mundo não está só mais perigoso, está cada vez mais louco. 

Pinto dos Santos TONI