Morreu o Professor Doutor Vítor Aguiar e Silva

Pedro-Dias180.pngTeoria-da-literatura.jpg

Faleceu, segunda-feira (12/09), aos 82 anos, Vítor Aguiar e Silva, Professor Emérito e Catedrático da Universidade do Minho (UM) que fundou e dirigiu o Centro de Estudos Humanísticos.

Foi Professor da Universidade de Coimbra e depois Professor da Universidade do Minho, desde 1989, integrando como Professor Catedrático o Instituto de Letras e Ciências Humanas – actual Escola de Letras, Artes e Ciências Humanas (ELACH) –, onde fundou e dirigiu o Centro de Estudos Humanísticos e a revista Diacrítica. Foi ainda vice-reitor da Universidade do Minho, entre junho de 1990 e julho de 2002, quando se aposentou.

Nesse mesmo ano foi distinguido com o Prémio Vergílio Ferreira, a que se seguiram o Prémio Vida Literária da Associação Portuguesa de Escritores, em 2007, e o Prémio Vasco Graça Moura – Cidadania Cultural, em 2018.

Em 2004, foi agraciado pelo então Presidente da República Jorge Sampaio com a Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública.

Recebeu, em 2020, o Prémio Camões, o mais importante prémio literário de língua portuguesa, que considerou, em entrevista, “o coroamento de uma vida de trabalho”. Foi um dos eminentes signatários da Petição em Defesa da Língua Portuguesa Contra o Acordo Ortográfico.

Perdi mais um amigo de muitas décadas que eu muito respeitava, um sábio, um homem bom e de uma integridade sem mácula. Diz o povo e com razão que a verdade é como o azeite e, depois da canalhice levada a cabo, na Faculdade de Letras, pelos esquerdistas, sobretudo os do Partido comunista e do Partido Socialista, para desgosto destes, viu a sua obra reconhecida como raras foram em vida de algum intelectual.

Que o Deus em que acreditava o guarde na Sua Santa Glória. 

Pedro Dias