RUA SILVA GAIO

Pode ser uma imagem a preto e branco de rua e texto que diz "Joana Gaio, Varela 202/ Rua por Silva"

Piso apressada as pedras da calçada

Desta rua velha, que também acho minha!

Apetece fugir...desses lugares que amo

No longe das memórias de menina.

Como explicar a ausência

Os silêncios profundos

As janelas fechadas

                                    na conclusão dos dias.

                                                                          (Gentes sem rosto para mim tangíveis.)

Ouço sons duma infância já sem data:

Cães soltos que fogem da corrida p'ra morte

                                                                              ( Vem lá a carroça…)

O grito dos miúdos e graúdos,

Amigos das crianças e dos bichos,

De nós que lá crescemos e voltamos,

Às ruelas sombrias a que chamam históricas

Calcetadas de novo

                                   e limpas e frias.

Apresso o passo sobre as pedras lavadas,

Como quem nada entende nem pode explicar,

Porque na vida nada tem explicação

Além dela própria na hora que passa,

A espreitar o fundo da dor já nascida

À espera do risco, sem vírus nem fisco.

Vou ter que fugir das memórias mortas

Da minha cidade, calçada de novo

                                                       em ruas velhinhas

                                                                             na alma lavada

                                                                                        no silêncio do chão

                                                                                                            de pedra em pedra !

Maria Clara V. Figueiredo

 junho 2021

( obrigada Joana Varela  pela foto maravilhosa )