SAPATEIA

Sapateia.jpg

António Melo Sousa,

 escreveu a letra ilhoa:

No berço que a ilha encerra

Bebo as rimas desse canto,

No mar alto dessa terra

Nada a razão do meu pranto.

Mas no terreiro da vida

O jantar serve de ceia,

E mesmo a dor mais sentida

Dá lugar à Sapateia.

Ó meu bem, ó Chamarrita

Meu alento e vai e vem,

Vou embarcar nesta dança

Sapateia, ó meu bem!

Se a Sapateia não der

Pr’a acalmar minh’a alma inquieta,

Estou p’ró que der e vier

Nas voltas da Chamarrita.

Chamarrita, Sapateia

Eu quero é contradizer,

O alento desta bruma

Que às vezes me quer vencer.

Ó meu bem, ó Chamarrita

Meu alento e vai e vem,

Vou embarcar nesta dança

Sapateia, ó meu bem.

 

António Melo Sousa

In Margarida Bizarro

(Imagem retirada da net)