Horas de emalar a trouxa?

ligapro-academica-x-nacional.jpg

Ponto de partida: o Nacional impôs hoje a terceira derrota consecutiva à Académica, ao vencer em Coimbra por 2-1, num encontro da quinta jornada da II Liga portuguesa de futebol que os ‘estudantes’ terminaram reduzidos a 10 elementos por expulsão de um dos seus elementos.

Ainda a procissão vai no adro e já há quem não augure bons fins à equipa e, na tentativa de salvaguardar o futuro, aponte como soluções imediatas pôr um par de patins ao treinador e enforcar a direcção.

A caminhar no sentido apontado pelo jogo de hoje, e pelos anteriores, não há dúvidas de que a equipa, como equipa, “não presta”, e o treinador parece não ter soluções para, como sói dizer-se, dar a volta ao texto. Mas emalar a trouxa… talvez seja cedo… Ou não.

É certo que o calor tornou quase impossível jogar futebol, mas a canícula atacou ambas as equipas, e, enquanto o atletas da turma madeirense  davam à perna que se fartavam, os da Briosa mal davam uns passos, deixando-se antecipar sempre pelos adversários, que, bem vistas as coisas, quase faziam gato-sapato dos da casa.

É certo, também, que mais uma vez, acintosamente, a equipa de arbitragem – o árbitro principalmente – prejudicou a equipa da casa; é certo, também, que a briosa podia ter empatado o jogo, e é certo também que a equipa forasteira podia ter aumentado a vantagem, Jogo é jogo, e, como diria Lapalisse, quem marca mais golos é que ganha.  

 

A equipa madeirense marcou aos 25 e aos 52 minutos, por Rochez e Camacho, respetivamente, enquanto a Académica ainda empatou, aos 49, por Chaby.

Numa primeira parte com poucas oportunidades de golo, o Nacional, mais activo e pressionante, adiantou-se no marcador aos 25 minutos, na marcação de uma grande penalidade, convertida por Rochez, que sofreu falta de Mike.

O avançado hondurenho da equipa madeira poderia ter aumentado a vantagem aos 31 minutos, num remate à trave, depois de ganhar a bola no setor recuado da ‘briosa’, em resultado de uma má abordagem de Mike.

Dois minutos depois, o jovem avançado academista Derik Lacerda saiu por lesão, entrando para o seu lugar Hugo Almeida.

A única oportunidade de golo dos ‘estudantes’ na primeira parte aconteceu aos 36 minutos, numa excelente combinação na esquerda entre Mauro Cerqueira e Chaby, que de calcanhar isolou o lateral da Académica, que rematou para grande defesa de Daniel.

Na segunda parte, a Académica entrou mais pressionante e chegou à igualdade aos 49 minutos, numa jogada de entendimento na esquerda, com Mauro Cerqueira a colocar em João Mendes, que cruzou para o remate certeiro de Chaby.

 

O “balde de gelo” na manhã tórrida imprópria para um jogo de futebol,  chegou três minutos depois, num lance que parecia inofensivo, em que Camacho aproveitou mais uma das muitas falhas uma falha na defesa da “briosa” para fazer o 2-1.

Ainda que sem muita convicção, a Académica tentou de tudo para chegar à igualdade, com destaque para os remates de João Mendes, aos 61 minutos, e Hugo Almeida, aos 75, que proporcionaram grandes intervenções do guarda-redes Daniel.

Apesar de substituído ao intervalo, KI ainda foi dos jogadores mais valiosos; pena estar a ser mal aproveitado, “obrigado” que é a jogar para trás em vez de lançar os ataques da equipa.

 

Jogo no Estádio Cidade de Coimbra | Assistência: 1.921 espetadores.

Académica – Nacional, 1-2. (ao intervalo: 0-1).

Marcadores: 0-1, Rochez, 25 minutos; 1-1, Chaby, 49; e 1-2, Camacho, 52.

Equipas:

– Académica: Tiago Pereira, Mike, Yuri Matias, Silvério, Mauro Cerqueira, Dias (Dany, 73), Leandro Silva, Ki (Traquina, 46), João Mendes, Chaby e Derik Lacerda (Hugo Almeida, 37).

 

– Nacional: Daniel, Kalindi, Rui Correia, Júlio César, Witi, Alhassan, Rúben Micael (Nuno Borges, 79), Vítor Gonçalves, Camacho (Gorré, 77), Rochez e Marco (Paulo Vyctor, 64).

 

Árbitro: Hugo Miguel (AF Lisboa),.com, como já vem sendo hábito, mais uma má arbitragem AAAAatitudes em campo protagonizadas por atletas madeirenses, é simplesmente ridícula.

A-CA-DÉ-MI-CA

ACA-DÉ-MICA

ACADÉMICA

BRIIOOOSAAAAAAAAAAAAAAA…

 

Fotos AAC/OAF 

Rogério Ferreira/KAPTA (zerozero)

.