Últimos artigos

Cristina de Sa13

SETEMBRO

Setembro dourado de uvas,e de sementeiras maduras!Cantos ao longe, são escutados,soleiras da porta adolescentes,num futuro do olhar dormente,quando sobes o rio e beijas a nascente...Setembro de cachos como seios,e prados de milho faceiros,adormeces a...

Joao Crespo2

Canção dos Boehmios

Oh vós, que do canto sois velhos fregueses,Ouvi destas liras o mélico emprego!Nós somos as gemas, os bifes ingleses,Os paios das filhas do claro Mondego. Sorri-nos a vida nos cálices cheiosDos roxos falernos das parras das Beira;Sorri-nos a Céres dos...

Mar

MAR

 Mar, metade da minha alma é feita de maresiaPois é pela mesma inquietação e nostalgia,Que há no vasto clamor da maré cheia,Que nunca nenhum bem me satisfez.E é porque as tuas ondas desfeitas pela areiaMais fortes se levantam outra vez,Que após cada ...

Mais artigos desta secção

Poema II do caderno Ítaca. Intacta.

é na terra túrgida. que se escoram.os alicerces. sólidos dos templos. iníquos. da loucura.que o dia límpido acordam e é na fímbria. finíssima. das pra...

A Rosa Doente

Ó Rosa, estás doente!Um verme pela trevaVoa invisivelmenteO vento que uiva o levaAo velado veludoDo fundo do teu centro:Seu escuro amor mudoTe rói des...

Sô Santo

 Lá vai o sô Santo…Bengala na mãoGrande corrente de ouro, que sai da lapelaAo bolso… que não tem um tostão.Quando sô Santo passaGente e mais gente vem...

Cantiga da Menina e Moça

Pensando-vos estou, filha;vossa mãe me está lembrando;enchem-se-me os olhos dágua,nela vos estou lavando.Nascestes, filha, entre mágoa,para bem inda...