TAÇA DE PORTUGAL

Taca-de-Portugal.jpg

ACADÉMICA OAF ELIMINA PORTIMONENSE DA TAÇA

De Coimbra veio uma surpresa assinada por Ki(iiii) e Djoussé

2019/10/19 19:58

Texto por Mário Rui Mateus

 

A edição 2019/20 da Taça de Portugal está a revelar-se uma caixinha de surpresas, não só pelas boas exibições das equipas da LigaPro e do Campeonato de Portugal, como também... pelos resultados. Nessa senda, a Académica OAF protagonizou uma bela partida e eliminou o Portimonense com um triunfo por 2x1

 

No Estádio Cidade de Coimbra, ambos os treinadores mostraram que a Taça de Portugal é uma prova de elevada importância e, como tal, apresentaram os seus onzes habituais (nota para a troca de guardiões nos algarvios e para Filipe Chaby, que começou no banco). Outro aspeto curioso deste duelo foi a parecença de filosofias de jogo da turma de César Peixoto e António Folha.

 

Um menino a agitar

De facto, os dois técnicos deixaram claro aos seus pupilos que era importante assumir a bola e controlar o jogo, começando a pensá-lo a partir do setor defensivo. Neste duelo de identidades, os homens de Coimbra levaram a melhor e criaram as melhores chances de golo.

 

Neste capítulo, o jovem Derik Lacerda foi o grande destaque e que o diga Rodrigo Freitas, várias vezes batido pelo compatriota. O atacante da Briosa teve três boas chances, contudo permitiu que Gonda levasse a melhor, falhou o desvio de calcanhar e errou nas medidas do chapéu.

Já os alvinegros, que tiveram dificuldades para encontrar a baliza de Mika, socorreram-se dos lances de bola parada, em algumas ocasiões, para o efeito. Bruno Tabata e Jackson Martínez ainda deram o seu lamiré, só que pontaria não foi a melhor. O golo teimava em não aparecer e o intervalo apareceu, embalado por algumas faltas.

 

Parecia... só que não

Galvanizados pela primeira parte efetuada, os estudantes começaram com ganas e, na sequência de um livre tenso de Marcos Paulo, um desvio de Mike obrigou Ricardo Ferreira (entrou para o lugar do lesionado Gonda) a aplicar-se. Depois do aviso, a formação da LigaPro chegou ao golo, através de um bonito remate cruzado de Kiiiiiiii (como se diz em Coimbra).

 

Em desvantagem, Folha procurou mexer na equipa, no entanto, foi a Académica quem esteve novamente perto de marcar, primeiro por Barnes Osei e depois por Mike (duas vezes). Na reta final, na sequência de um canto de Bruno Tabata, Jackson Martínez (88') aproveitou uma saída em falso de Mika e gelou Coimbra.

 

Enquanto a euforia algarvia acalmava e já se adivinhava o prolongamento... a Briosa marcou: Filipe Chaby descobriu Mauro Cerqueira no corredor esquerdo e este cruzou para a finalização do recém-entrado Donald Djoussé (90'). Pouco depois, Vítor Ferreira apitou e selou a justa passagem dos conimbricenses à próxima fase da Prova Rainha.

In Joaquim Paulo Bicudo de Abreu