Carta Aberta aos Políticos, Sobre as Coisas

Corrupcao.jpg

Vão-se foder. Isso, leu bem: vão-se foder.

Quanto ganham, onde moram, em que transportes públicos circulam, em que cantinas económicas se alimentam os senhores políticos ou os senhores governantes desta República decadente? Quais as vossas despesas com gastos supérfluos, pagos com o erário público? Que despesas apresentam alegando serem indispensáveis ao exercício do vosso trabalho, para auxiliarem o vosso trabalho, indevidas? Está tudo registado? Onde? E o que camuflam? E quem supervisiona?

Vão-se foder.

Têm filhos? Como conseguem alimentar os vossos filhos, instruí-los, vesti-los, formá-los, com ordenados mínimos que não conseguem suportar meio arrendamento de uma habitação digna, quanto mais um arrendamento inteiro? Rendas cujos valores, consoante os vossos negócios extragovernamentais ou extrapartidários (ou então tudo incluído no mesmo saco azul), muitos de vocês tabelam/acertam em jantares de negócios em horário de trabalho pago pelo filho-da-puta do povo que vocês escravizam, valores que os vossos partidos congeminam pela calada das horas sujas dos dias e das noites.

Merda de homens. Vão-se foder.

A demografia está avassaladora no sentido da queda, porque os homens e as mulheres das várias gerações que ainda podem fecundar estão proibidos de fecundarem por temerem falta de dignidade nas educações das gerações futuras. E é por isso que cada vez há menos impostos a cobrar para contribuírem para o vosso regabofe!

[Pela queda abrupta da demografia, claro!]

Menos descontos para contribuírem para reformas cada vez mais delgadas. Menos comparticipações para o luxo de que vocês tanto gostam, para usufruírem, indiferentes à pobreza do povo que amplia a pobreza para reforçar a vossa riqueza, da vida luxuosa que não conseguem escamotear.

Filhos-da-puta. Vão-se foder.

Digam a verdade sobre as estatísticas sérias do que está relacionado com o COVID. Digam a verdade sobre o valor do arrendamento dos quartos que estão a ser cobrados aos universitários. Digam a verdade sobre o património público que não está a ser aproveitado. Digam a verdade sobre o património público que não são os necessitados que utilizam, mas sim os familiares dos autarcas. Digam a verdade, apenas a verdade, e só a verdade, sobre tudo. Vocês emigram? Ou vocês são apenas diplomatas e vão para Bruxelas auferir ordenados sobrevalorizados com todas as restantes despesas pagas, a que chamam “ajudas-de-custo”, só porque sim e vocês têm de andar de fato e gravata e outras coisas que nos enojam?

Vão-se foder.

As governações deste país são uma vergonha porque fingem não perceberem que se escravizam impunemente todos os portugueses sofridos e trabalhadores, com o beneplácito dos vossos maiorais e do que vocês fazem à socapa. Vocês legislam à socapa. Vocês vigarizam sem ser condenados graças ao que legislam à socapa. Vocês entram e saem da esfera corrupta com uma facilidade que não passa despercebida. Vocês protegem os banqueiros corruptos à socapa, porque beneficiam como ninguém das vigarices que deles advêm.

Vão-se foder.

Vocês não passam de uma gentalha ordinária, que mistura partidarites, clubites, e até justiça corrupta. Vocês tornaram-se escória. Vocês mentem e mentem e de tanto mentir acreditam que as vossas mentiras são verdades puras e materiais e de facto.

Vão-se foder.

Há todo um povo no meio disto tudo, não sei se alguma vez se aperceberam disso. De direita, de esquerda, do centro. Há todo um povo saturado e martirizado e vigarizado e sofrido. Que não tem salários nem reformas para viver com dignidade, para pagar sem angústia os impostos que vos proporcionam o reequilíbrio dos vossos maus orçamentos e os ordenados indignos que usufruem. Que não tem dinheiro para ir ao médico, para pagar impostos, mas a quem vocês chupam o suor até à medula para poderem deslocar-se na vossa luxuosa frota automóvel com “chauffeur”.

Vão-se foder.

E vocês, forças armadas sem tomates, andam calados? Não dizem nada? Qual o vosso ordenado? E não metem balas nas G3 decrépitas (isto já não vai com cravos) para disparar, pelo menos para o ar, para amedrontar esta cambada de canalhas corruptos e bandidos que fingem que governam sem governar, que fingem ser sérios sem o ser, que fingem ser justos sem pouco saberem de justiça, que fingem usufruírem de uma intelectualidade que jamais terão? Estão à espera do quê - e de quem?

Vão-se foder. Mas vão-se foder mesmo.

© Jorge de Sá

(Jorge de Sá não respeita o AO90 e sente-se indignado com o estado das coisas em Portugal)

(Imagem retirada da Net)