NEM TUDO VAI MAL NO NOSSO PAÍS. Pouco a pouco, a Justiça segue o seu caminho.

Pedro-Dias45.png

Berardo voltou a perder a batalha contra a CGD. Nem lhe valeu invocar "Abel e Caim"

Dois acórdãos proferidos, esta quinta-feira, pelo Tribunal de Relação de Lisboa chumbaram mais uma tentativa de Joe Berardo para travar o arresto de bens.

Começam a ficar cada vez mais limitadas as ''portas" jurídicas de saída para José Berardo impedir a execução do arresto de três prédios de luxo, em nome entidades onde tem responsabilidades, para amortização da dívida de cerca de 400 milhões de euros à Caixa Geral de Depósitos (CGD).

Os dois acórdãos indeferem liminarmente todos os argumentos apresentados nos recursos interpostos pelo próprio 'Joe' Berardo, pela Fundação José Berardo e pela Associação de Coleções - estas últimas também fundadas por Berardo e que o tribunal de primeira instância concluiu que foram criadas e utilizadas por si para fazer circular capital, rendimentos e contas.

Em causa estão três prédios: dois em Lisboa, que o tribunal arrestou em junho passado - um apartamento T4 na Avenida Infante Santo, avaliado de 2,5 milhões de euros, que será a residência do próprio Berardo, e outro na Lapa, avaliado em 1,5 milhões de euros, que será onde mora a sua filha; o outro imóvel é o Monte Palace, no Funchal, onde está a sede da Fundação Berardo, e é a morada fiscal do empresário, avaliado em cerca de 40 milhões de euros.

(© Gonçalo Villaverde / Global Imagens)