A DERRADEIRA AVENTURA

Rui-Felicio159.png

Caímos ao dar os primeiros passos.

A experiência adquirida com as quedas, ensina-nos a corrigir os próximos e aprendemos a andar.

Uma aventura!

Na escola mostram-nos uns símbolos estranhos que tentamos decifrar sem êxito.

Adultos transmitem-nos a sua própria experiência e aos poucos vamos aprendendo a ler.

Uma aventura!

Anos depois, sentimos no corpo as mudanças da puberdade.

Colegas mais velhos que já passaram por tal experiência explicam-nos o seu significado.

Uma aventura!

Já adolescentes, o desejo sexual invade-nos, queremos saber como irá ser a nossa primeira vez.

Os adultos aconselham-nos com a sua experiência.

Uma aventura!

Formamo-nos, entramos na luta profissional que nos agride e nos descoroçoa.

Homens maduros, tisnados pela experiência, sugerem-nos comportamentos e cautelas.

Uma aventura!

Casamos, constituímos família e nasce o primeiro filho.

Casais amigos ensinam-nos a acompanharmos o seu crescimento.

Uma aventura!

Envelhecemos, perdemos entes queridos, mas descobrimos coisas novas que nem sonhávamos.

Na solidão, lemos, devoramos páginas e páginas escritas pela experiência de antepassados,

Uma aventura!

A vida é um desfilar de situações novas, desconhecidas.

Em cada uma delas, a experiência de outros ensina-nos a desvendá-las, a enfrentá-las, a delas extrairmos o prazer que nos podem dar.

A vida é uma constante aventura!

A derradeira aventura, certa e garantida é a morte.

Contudo, ela é a única que não podemos enfrentar com a experiência de outros.

Porque quem já a experimentou, nunca nos poderá ajudar a encará-la.

Rui Felicio